Rua Fernando Pessoa, 468 - Vila Giglio, Atibaia - SP, 12946-240

Telefone: (11) 4402-1442 - E-mail: educacaoestrelasguia@gmail.com

  • Escola Estrelas Guia
  • Instagram Social Icon

Educação Infantil

1° Setênio – “O mundo é bom!”:

  • De 0 a 07 anos;

  • A criança está aberta ao mundo;

  • Tem confiança ilimitada;

  • Recebe impressões sensoriais;

  • Não elabora julgamento ou análise;

  • Está na fase do desenvolvimento motor;

  • As percepções inadequadas são armazenadas no inconsciente (não compreende o pensamento dos adultos);

  • Aprendizado por imitação;

  • O educador Waldorf deve ser digno de ser imitado, pois nessa imitação inconsciente estará fundamentando sua moralidade futura.

  • Característica: O bom.

 

          O Jardim de Infância de 0 a 7 anos é preparado levando em conta o desenvolvimento infantil, suprindo suas necessidades físicas (motoras e nutricionais), emocionais, cognitivas, sociais e espirituais.

          O educador deve ser o centro, o organizador, aquele que pensa, sente e faz. Em seus atos deve irradiar a vontade e a verdade, para que a criança queira imitar ao ver. E todo este fazer atua de forma decisiva no desenvolvimento da criança. O professor deve trabalhar consciente de toda a tarefa e deixar as crianças livres. A criança é introduzida ao brincar conforme sua individualidade lhe permite. Neste brincar as crianças manifestam seu mundo interior e cabe ao educador harmonizá-las ou despertá-las quando necessário. As crianças sempre encontrarão materiais naturais para expressarem suas transformações imaginativas. O educador dá o ritmo, a rotina, o momento de contração e expansão para a criança dando a possibilidade de vivenciar as épocas do ano. Promove a confiança para que ela possa se desenvolver de forma livre. Os movimentos, a fala bem articulada e a música trazem vigor à criança e a prepara para as novas atividades. Ao educador é necessário tempo de preparação e cuidado especial consigo mesmo. Requer acima de tudo devoção consciente e amável para a criança que está diante de si. Toda semente plantada no ser da criança pelo educador poderá dar frutos somente se os pais colaborarem com o processo. Por isso a escolha da pedagogia deve ser consciente desta grande tarefa, pois para que haja crescimento deve haver confiança.

       

          Não há, basicamente, em nenhum nível, uma educação que não seja a auto-educação. [...] Toda educação é auto-educação e nós, como professores e educadores, somos, em realidade, apenas o ambiente da criança educando-se a si própria. Devemos criar o mais propício ambiente para que a criança eduque-se junto a nós, da maneira como ela precisa educar-se por meio de seu destino interior - Rudolf Steiner, A Prática Pedagógica (São Paulo: Ed. Antroposófica), palestra de 20/4/1923, GA 306

 

 

            O resultado positivo depende das tarefas significativas dos pais e educadores.

          Primeira tarefa -   Gesto de proteção. Devemos escolher um ambiente familiar onde se fala em tom normal, sem gritos, brigas e onde muitas vezes canta-se, e principalmente estar presente. Podemos proteger a criança também do excesso de aparatos técnicos como TV, radio, vídeo game, celular, etc. Trazer um ambiente tranqüilo e repleto de amorosidade e firmeza.

          Segunda tarefa – guiar a criança passo a passo para a vida é permitir à ela aprender sobre a vida para sempre. Permitindo à ela aprender através da imitação, que é uma capacidade nata nela e não aprender através de ensinamentos inteligentes e intelectuais.

 

Nosso Jardim

        Nossa escola hoje acolhe 3 salas aconchegantes de Jardim, com crianças de idades variadas, e são acompanhadas amorosamente por uma professora Waldorf e uma auxiliar de educação. Todas as salas carregam um nome muito especial: Jardim Jasmim, Jardim Raio de Sol e Jardim Girassol. Em nossas salas oferecemos brinquedos de madeira, troncos, sementes, cavalinhos de pau, bonecas de pano, panos coloridos que viram capas de príncipes e princesas, cobertas e tendas, cestos de bolas coloridas e cabanas, um lugar encantador para desenvolver a criatividade e as relações.  Temos uma cozinha onde são feitos os lanches das crianças como: pães variados, bolos, saladas de frutas, biscoitos, legumes e muitos outros quitutes que ajudam no crescimento das crianças. E as crianças participam.

          Na parte externa temos dois parques bem arborizamos com árvores frutíferas, flores e muita sombra, balanços, escorregadores, tanque de areia, gira gira, água, pomar, terra, fogueira, horta e espaços livres para correr, brincar e descobrir o mundo através do contato com a natureza.

          Temos uma cozinha central onde são preparados os almoços com muito amor e carinho.

        Nossa secretaria conta com uma sala de atendimento aos pais novos e da escola. E um salão que é usado para eventos e atividades diárias.

          A infância é uma só. Este é um momento mágico de formação, criação e alegria. Venha conhecer nosso espaço!

O que acontece no nosso Jardim?

         O ambiente da sala de jardim de infância é muito importante e deve ser aconchegante. A sala se compõe de pequenos ambientes, como o “quarto das bonecas” ou a “cozinha”. Há mesas grandes para que as crianças tenham uma vivência do social nas refeições e algumas outras atividades, como a culinária ou aquarela. Há cavaletes e panos para a construção de cabanas, circo… Os brinquedos são de madeira e as bonecas são de pano. Há ainda sementes, conchas, pedras, toquinhos de madeira, lã de carneiro, capas, saias, panos, giz de cera e cera de abelha para que a criança possa criar e usar a fantasia que lhe é inerente.

          A área externa é muito arborizada com árvores frutíferas e flores. Há caixas de areia, água, balanços, escorregadores, gangorras. Há muito espaço onde a criança poderá desenvolver a motricidade.

       Na idade pré-escolar, a criança desenvolve-se em grande parte através do brincar. O brincar é tão importante e sério como o trabalho para o adulto. Ao brincar, a criança vai adquirindo experiências e vivências com as quais vai aprendendo a se situar em seu meio ambiente. É no brincar que a criança conhece o mundo e a si mesma e desenvolve capacidades de relacionamento social e coordenação motora.

        A criança pequena é inteiramente força de vontade, ela só quer brincar e se movimentar. A forma de brincar da criança é influenciada pela fantasia, que vem de dentro e pela imitação – ela imita o trabalho e os gestos dos adultos. E aqui os educadores têm que estar atentos aos seus gestos e posturas diante da criança. O ritmo é muito saudável para a criança, pois dá segurança. Busca-se cultivar, diariamente, os bons hábitos de higiene, alimentação, respeito, veneração e socialização.

         Nas atividades diárias há o momento do brincar e das atividades dentro da sala, o momento do ritmo, onde são vivenciadas as festas e estações do ano, o brincar no pátio e o conto de fadas.

As festas do ano ajudam a criança a entrar no ritmo do ano. Através de músicas, danças, teatros, histórias e alimentos, as tradições são lembradas e a criança vivencia o sentido cósmico das festas: Páscoa, Pentecostes, Lanterna, São João, Micael, Primavera e Natal.

         A música é vivenciada através de canções e do kântele. Criam-se momentos para o ouvir, o silenciar e o cantar. A música ajuda a harmonizar e equilibrar o processo respiratório físico, anímico e social. O Kântele, com sua sonoridade e escala especial é como uma gota de vida no deserto sonoro (falta de adequação dos sons, que deixam a criança agitada) que cerca a criança. A escala é pentatônica, que cria uma atmosfera flutuante, de sonho, que não adentra a corporalidade física. Esse ambiente sonoro alimenta a alma da criança pequena, de tal forma que é capaz até de harmonizar seus processos físicos.

       O conto de fadas refere-se às grandes verdades espirituais da evolução humana, como vida e morte, bem e mal…

Comer bem é comer certo

“Alimentar-se: um ato que diz respeito à totalidade do ser”

          Dentro dos princípios da Antroposofia, o homem é um ser trimembrado: corpo Físico, corpo Astral e Espiritual.

        Cada um tem uma necessidade e o ato de Educar deve contemplar estes âmbitos em cuidar do emocional (a afetividade, os sentimentos); do cognitivo (o conteúdo vivenciado); do espiritual (o respeito pelo outro); do corpo físico (o movimento e alimentação).

        Para um crescimento saudável precisamos de um corpo habilitado e forte. Na primeira infância a criança, ao se alimentar, absorve e apropria-se do mundo, é maneira que o Ser reconhece sua natureza. Esta vivência abre a oportunidade dela conhecer todos os elementos da natureza: o ar, a Terra, a água e o fogo.

      Nesse momento de alimentar, de forma simples e diária, desenvolve-se a vontade, o amor e a inteligência, pois o mundo está sendo apresentado e incorporado como memória. E essa memória possibilita ao ser o despertar de bons hábitos e a atuação com sabedoria.

           Em uma alimentação diversificada as crianças aprendem os novos sabores e a diferencia um do outro, o que melhora seu paladar e também, mais tarde, na vida adulta, habilita-as a se relacionarem melhor com as pessoas, aceitando as diferenças e melhorando a comunicação.

       Nossa atenção não é somente direcionada à escolha de alimentos saudáveis, mas à preparação e apresentação dos mesmos. Alimentos preparados com carinho, respeito e amor, fazem toda a diferença na hora de ingeri-los. Vindo eles carregados de luz, trazem vitalidade para a alma, iluminando nosso ser, que responde com saúde e bem estar.

         Os cuidados seguem também na hora de nos reunirmos à mesa: organização e beleza na disposição dos alimentos, oração de agradecimento, tempo para a criança mastigar bem os alimentos, comer sozinha, sentir o perfume, saborear, despertar a paciência aprendendo a esperar, instigar o experimentar.

         A rotina traz confiança e certeza de que ela será atendida. Nasce o sentimento de gratidão todos os dias, assim como o sol que, mesmo que não vejamos, sabemos que está acima das nuvens.